Importante!

Este blog não tem propósito de indicar tratamentos para substituir cuidados médicos e medicamentos.Em caso de doença procure um médico e faça o tratamento corretamente.As dicas aqui descritas servem como terapia complementar e preventiva.




sexta-feira, 22 de abril de 2011

Inteligência e aprendizagem - Jean Piaget


Ao aprender pela própria atividade, o sujeito obterá um surpreendente resultado: aumentar ainda mais sua capacidade de aprender; poderá pois, aprender conteúdos cada vez mais complexos. Assim como Freud conceituou o inconsciente, Piaget conceituou o consciente investigando processos que o produzem: assimilação, equilibação, abstração reflexionante, generalização, tomada de consciência, para, no final das contas compreender como o ser humano chega ao conhecimento universal e necessário ou como faz ciência – objetivo eminentemente epistemológico.


Interação e conhecimento
Essa ideia piagetiana de desenvolvimento, ao contrário, propõe que o conhecimento, ou melhor, a capacidade cognitiva, não nasce no sujeito, nem no objeto, mas tem início numa zona periférica em que esses polos começam a interagir. Isso é, o recém-nascido não sabe quem ele é, como também não sabe quem é a mãe; para ele, ele e a mãe são um todo indiferenciado, uma amálgama. Pode-se dizer que, para o bebê, sujeito e objeto são projetos que levarão os próximos 10 ou 15 anos para se realizarem; para que se configurem e consolidem as estruturas básicas, tanto do objeto quanto do sujeito; estruturas ao mesmo tempo cognitivas e afetivas que tornarão possível a vida adulta.

Fonte: Revista Educação – Historia da Pedagogia – Jean Piaget
Sidilene Lima
15/04/11

Nenhum comentário:

Postar um comentário