Importante!

Este blog não tem propósito de indicar tratamentos para substituir cuidados médicos e medicamentos.Em caso de doença procure um médico e faça o tratamento corretamente.As dicas aqui descritas servem como terapia complementar e preventiva.




domingo, 29 de maio de 2011

A importancia do aprender a fracassar



Cada frustração, cada contratempo, cada contrariedade, cada desilusão carrega consigo o germe de uma infinidade de capacidades humanas desconhecidas, sobre as quais os espíritos pacientes e decididos vão aprendendo a construir o melhor de suas vidas.

O sucesso consiste em aprender a prosseguir, de fracasso em fracasso, sem desesperar-se, dizia Winston Churchill, o conhecido estadista e historiador britânico.

Ninguém pode dizer que nunca fracassou, ou que fracassou poucas vezes. O fracasso está ligado à condição humana, que é limitada, e o normal é que todos os homens o constatem com freqüência, a cada dia.

Por isso, aqueles que afirmam ser bem-sucedidos na vida, não o fazem por nunca terem fracassado, ou por fracassarem algumas vezes: se triunfam é porque aprenderam a superar esses pequenos e constantes fracassos, à medida que surgem, quer queiramos ou não, na vida de todo ser humano normal.

Ao contrário, os que fracassam na vida são aqueles que, em vez de adquirir experiência com cada pequeno fracasso, vão-se afundando um pouco mais.

Triunfar é aprender a fracassar. O sucesso na vida consiste em saber enfrentar os inevitáveis fracassos do viver diário. Deste curioso paradoxo depende, em muito, acertar em viver.

Cada frustração, cada contratempo, cada contrariedade, cada desilusão carrega consigo o germe de uma infinidade de capacidades humanas desconhecidas, sobre as quais os espíritos pacientes e decididos vão aprendendo a construir o melhor de suas vidas.

As dificuldades da vida agem, de certo modo, a nosso favor. O fracasso evidencia nossa própria limitação mas, com o tempo, oferece a oportunidade de nos superarmos, de darmos o melhor de nós mesmos.

Desta maneira, convivendo em um ambiente no qual nem tudo nos é dado de graça, é que se vai formando o caráter, adquirindo força e autenticidade.

Seria uma completa ingenuidade deixar a vida se consumir numa desesperada busca de algo tão utópico como o desejo de permanecer em um permanente estado de euforia, ou de constantes sentimentos agradáveis. Quem assim pensasse, estaria quase sempre triste, se sentiria infeliz, acabando, provavelmente, por tornar infelizes, também, as pessoas à sua volta.

Como dizia G. von Le Fort, "há um tipo de sorte dita claro, e outro escuro, mas o homem incapaz de saborear o escuro, tampouco é capaz de saborear o claro". Ou como dizia Quevedo, "quem, nesta vida, quer todas as coisas ao seu gosto, terá muitos desgostos".

Por isso, quando se trata de educar o próprio caráter, ou o caráter dos filhos, é muito importante não se deixar cair em nenhuma espécie de neurose perfeccionista.

Porque todos nós cometemos erros. A diferença é que uns tiram proveito deles para o futuro, com humildade, enquanto outros só obtêm amargura e pessimismo. O sucesso, voltamos a repetir, está na capacidade de superar os tropeços com esportividade.

Dá pena ver pessoas inteligentes se desmoronarem e abandonarem uma carreira ou um concurso na primeira reprovação; rapazes e moças que fracassam no primeiro namoro e passam a praguejar contra toda a humanidade; ou aqueles que não podem suportar um simples baque em sua brilhante carreira triunfal, seja quanto à amizade, afetividade ou profissão, afundando-se miseravelmente: o maior dos fracassos pode ser deixar de fazer as coisas por medo de fracassar.

Winston Churchill: O sucesso consiste em aprender a prosseguir, de fracasso em fracasso, sem desesperar-se.

Autor:Alfonso Aguiló


---------------------------------------------------------------------------

Fonte: Interrogantes.net
Tradução: M. C. Ferreira - 28.01.09

Um comentário:

  1. Para mim não é só isso, não.Creio que seja de responsabilidade dos pais ensinarem aos seus filhos a falarem sobre esse fracasso, a refletirem sobre os sentimentos que surgem quando fracassam ou quando são repreendidos.
    Conheço algumas pessoas que criaram seus filhos assim: sem falar dos problemas e evitando que seus filhos se frustrassem.Uns por que achavam que evitar que o filho sofresse significava prova de amor e outros por quererem se livrar do choro ou da pirraça do filho davam o que o filho queria (mesmo que não fosse adequado)ou ainda distraiam o filho tirando o foco do problema.
    Descobri recentemente o quão ruim essas pequenas atitudes do nosso cotidiano podem contribuir para a formação de um adulto que futuramente se tornará alguém com problemas de relacionamento.Essa criança que teve tudo, que não foi acostumada a receber não, que sempre foi elogiada exageradamente e não entendeu o "não" como parte da vida, possivelmente vai criar seus filhos da mesma forma e assim teremos um grupo de seres humanos com muita dificuldae em aceitar criticas, inflexibilidade, dificuldade de aceitar e concertar os próprios erros.

    ResponderExcluir