Importante!

Este blog não tem propósito de indicar tratamentos para substituir cuidados médicos e medicamentos.Em caso de doença procure um médico e faça o tratamento corretamente.As dicas aqui descritas servem como terapia complementar e preventiva.




sexta-feira, 3 de junho de 2011

A cura pela alquimia



Os florais têm como objetivo trazer consciência à personalidade. Nosso Eu Superior sabe nossa verdadeira missão, e tudo o que nos propusemos a realizar nesta encarnação, mas nosso ego e nossa racionalidade nem sempre têm consciência desta missão, e muitas vezes teimam em seguir por caminhos muito diferentes de nossa proposta original. Esse distanciamento de nossa essência é uma das principais causas de doenças e distúrbios físicos, emocionais e espirituais.

Uma outra causa de distúrbios está relacionada à memória celular. Infelizmente nossa memória celular carrega todos os registros (bons e ruins) de nossos antepassados. Esta nossa genética familiar/emocional é formada por vários tipos de vícios energéticos adquiridos dos nossos ancestrais, como infelicidade, submissão, ira, medo, dor e sofrimento. Para a psicologia junguiana, essa memória seria o equivalente ao "inconsciente familiar". E é justamente esta memória celular que rege boa parte de nossos pensamentos e do que acreditamos ser nossa "razão", nos dizendo o que fazer o tempo todo, geralmente nos fazendo sair do nosso trajeto evolucionário.

Equilibrar o corpo, a mente e o espírito, limpar a memória celular dos registros "negativos", resgatar a consciência de que somos seres individuais e espirituais com um destino evolutivo próprio, nos leva à harmonização física, emocional, mental e espiritual, nos tornando seres humanos mais próximos da alegria e felicidade.

O que são Florais?


As essências florais são extratos energéticos das partes floridas de uma planta.

Este sistema alquímico foi criado e produzido pessoalmente em São Paulo pelo pesquisador brasileiro Joel Aleixo a partir de plantas já adaptadas ou nativas brasileiras. Estes florais diferem bastante dos outros sistemas florais (de Bach, da Califórnia, de Minas, entre outros), desde a elaboração até a sua recomendação aos clientes, realizados somente por assessores florais formados por Joel Aleixo. Estes florais são produzidos de acordo com os métodos e conceitos dos alquimistas medievais, principalmente de Paracelso, um dos maiores estudiosos da humanidade; para ele não era o princípio ativo da planta que equilibrava, e sim sua "alma".



Como é o tratamento?



O Tratamento segue as 3 fases da Alquimia - Nigredo, Rubedo e Albedo. A fase do Nigredo é o início do tratamento, quando chegamos no consultório do terapeuta, conhecido na Alquimia como o "laboratório do alquimista", ainda muito confusos, cheios de conflitos, problemas, dificuldades e muito pouco autoconscientes. Nesta fase, ainda estamos muito distantes de nossa consciência espiritual, da consciência de nossa missão evolutiva, sentindo que as coisas não estão muito bem, que a vida poderia ter mais sentido, ser melhor, e por isso vamos em busca de ajuda. Durante esta fase da terapia, utilizamos os florais compostos, feitos à base de ervas, e não apenas de flores. O corpo físico e os corpos espirituais mais densos passam por uma limpeza, onde são descarregados miasmas e traumas antigos. Esta assepsia é indispensável para o sucesso de uma boa terapia, já que só poderemos alçar níveis mais altos de consciência após termos nos libertado de toda a carga energética pesada e negativa que carregamos em nossos corpos sutis.



Após a assepsia, podemos notar o princípio de uma tomada de consciência. A pessoa começa a adentrar a segunda fase do trabalho alquímico, a Rubedo. Nesta fase, entraremos em contato com nossos conteúdos internos, com nossos "carmas", questões familiares, e o processo de autoconhecimento terá início efetivamente. E finalmente chegamos à última fase, a Albedo, onde tudo se torna claro, onde nos reencontramos com nossa missão espiritual e passamos a expressar a nossa mais pura Essência.



Cada uma dessas fases é acompanhada por seus respectivos florais, e para que todo o processo se complete, através da terapia, entramos em contato com questões de nossos pais, de nossos antepassados, limpando nossa memória celular. Limpamos e reativamos os nossos chakras, limpamos memórias intra-uterinas, de possíveis traumas ocorridos durante a nossa gestação. Até finalmente nos reencontramos com nosso Eu Espiritual, realizando a Grande Obra de Deus em nós.



Quem é Joel Aleixo?



Joel Aleixo hoje é um pesquisador e um verdadeiro alquimista, mas seu trajeto até a alquimia começou há mais de 20 anos. Antes de ser alquimista, ele era um metroviário sindicalista, extremamente atarefado e estressado, vivendo em Recife. Ao visitar seus tios em São Paulo, por motivos de saúde, acabou se descobrindo médium, ao entrar em transe repentinamente após uma meditação. Neste transe, foi instruído por seus guias a fazer um retiro espiritual, onde deveria ficar isolado durante 30 dias, sem comer, bebendo apenas um copo de água por dia, em um quarto escuro, sem ver ninguém. Durante este retiro, Joel perdeu 30 quilos, todos os dentes, todas as unhas e teve sua pele coberta por feridas. Ao mesmo tempo, teve inúmeras revelações a respeito do mundo espiritual e também a abertura de sua terceira visão.

Após o término deste retiro, Joel mudou sua vida, passando a morar em São Paulo e a trabalhar com curas. Passou a observar e estudar a aura humana, utilizando seus dons de artista plástico para desenhar todos os detalhes que percebia. Também através da observação dos campos áuricos, passou a estudar os campos energéticos das plantas e percebeu similaridades de cores entre as auras humanas e do reino vegetal. Começou a fazer experiências, por exemplo, dando extratos de plantas "vermelhas", como a arruda, por exemplo, para pessoas com falta da cor vermelha na aura (pessoas muito aéreas, com dificuldades de colocar os "pés no chão"), e percebeu que isso funcionava. Assim, passou a elaborar seu sistema de remédios e mais tarde criou o seu sistema floral. Ao observar as plantas, começou a perceber que cresciam melhor se plantadas em canteiros redondos, pois o campo magnético da Terra também é circular. Percebeu que certas plantas cresciam melhor se plantadas na Lua Cheia, outras na Lua Crescente, algumas voltadas para o Norte, outras para o Leste, e verificava que estes detalhes tornavam seus remédios cada vez mais potentes. Intuitivamente, seguia o caminho alquímico, sem nunca haver tomado contato com a Alquimia antes. Depois de um tempo, tomou contato com as obras de Paracelso, o grande Alquimista da Idade Média, e passou a sistematizar seus estudos alquímicos de acordo com os tratados de Paracelso e Nicolas Flamel, outro grande alquimista.

Hoje em dia, Joel tem seu trabalho reconhecido e respeitado, não só no Brasil, como em outros países como a Itália e a Espanha, por exemplo. Sua biografia completa pode ser conhecida através de seus dois livros, "O sétimo passo" e "O oitavo passo", que podem ser adquiridos através de seu site: www.joelaleixo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário