Importante!

Este blog não tem propósito de indicar tratamentos para substituir cuidados médicos e medicamentos.Em caso de doença procure um médico e faça o tratamento corretamente.As dicas aqui descritas servem como terapia complementar e preventiva.




segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Psicossomática

"Segundo a Organização Mundial de Saúde o conceito de saúde é bem estar bio-psico-social.
A Psicossomática sabe que parte das queixas e/ou doenças que aparecem nos consultórios não tem alterações orgânicas. Os sintomas aparecem, mas a origem dessas doenças se deve a conflitos emocionais ou situações de stress.

Os inúmeros e repetidos exames complementares solicitados pelos profissionais, geralmente, não demonstram nenhuma alteração. O médico costuma dizer ao paciente que ele não tem nada.

A partir desse momento, o profissional de Psicossomática que pode ser médico, psicólogo, terapeuta, fisioterapeuta, enfim qualquer profissional da área da saúde tem diante dele um desafio em relação ao adoecer do paciente.

O que está escondido por trás desse sintoma e que precisa ser decodificado?

A nossa proposta é olhar o indivíduo além do biológico, buscando uma interação com seu mundo psicológico e social. Assim, colocamos os três enfoques em pé de igualdade.

Essa mudança de postura propõe uma nova visão da fisiologia corporal, e talvez do adoecer. A doença deixa de ser vista apenas como algo a ser combatido a qualquer preço e passa a ser considerada como uma informação fundamental à cerca da vida da pessoa.

Nesta abordagem, o paciente é convidado a fazer uma reflexão, tomando consciência de si mesmo, de suas capacidades e possibilidades de mudança.

Um outro ponto que é relevante neste tipo de atendimento é a importância dada a relação médico-paciente.

Costumamos dizer que o primeiro e melhor remédio é a relação médico-paciente ou terapeuta-cliente “suficientemente boa”. As consultas têm um tempo de duração maior e o profissional aprende a desenvolver uma “escuta diferenciada”. Ou melhor dizendo, aprende a escutar não só o que o paciente diz, mas principalmente o que gostaria de dizer.

Desta forma o profissional tem condições de fechar seu diagnóstico e, se necessário, encaminhar seu paciente a um outro colega.

Uma outra prática muito freqüente entre profissionais com esta formação é a interdisciplinaridade, ou seja, a possibilidade de um paciente ser atendido por mais de um profissional e a discussão entre os profissionais sobre aquele caso, cada um dentro de seu olhar e competência.

Segundo M. Balint “toda consulta é um pedido de amor e carinho”

Portanto, a Psicossomática considera a importância de uma visão integrada do paciente priorizando a relação médico-paciente ou terapeuta-cliente.

Para finalizar, e como reflexão, gostaria de citar Hipócrates:

“É mais importante conhecer a pessoa que tem a doença, do que conhecer a doença que tem a pessoa”."



Esse texto resume bem o que eu penso sobre a relação terapeuta- cliente - doença.Se todos os terapeutas e médicos realmente conhecessem seu cliente/paciente, se os dessem um olhar amoroso e atento, talvez muitos nem precisassem de "remédios".
beijos,


Danny

Nenhum comentário:

Postar um comentário