Importante!

Este blog não tem propósito de indicar tratamentos para substituir cuidados médicos e medicamentos.Em caso de doença procure um médico e faça o tratamento corretamente.As dicas aqui descritas servem como terapia complementar e preventiva.




sábado, 31 de março de 2012

Frustrações





Um dos fatos mais complicados de aprendermos a trabalhar em nossas emoções, são aquelas repercussões causadas por situações que nos geram frustração.
Em primeiro lugar, devemos observar como estamos conduzindo a nossa vida, o que nós estamos fazendo de bom e de ruim para nós mesmos. Temos que olhar se estamos fazendo coisas que gostamos, se estamos tomando atitudes adequadas àquilo que acreditamos ser correto, se estamos ao lado de pessoas que realmente nos fazem bem, se nosso trabalho está adequado ao seu desejo e qualidade de vida. Depois de conseguirmos observar esta realidade, adequar o nosso desejo a situação que nos é mostrada. Por exemplo: observar o trabalho que temos, as sensações que ele nos causa, o que esperamos que ele nos proporcione. Quando esperamos mais do que este trabalho pode nos dar, acontece a frustração. Nos relacionamentos é a mesma coisa, muitas vezes nos “apaixonamos” pela IDÉIA que criamos sobre a pessoa e esquecemos de ver quem é realmente esta pessoa e o que ela pode nos proporcionar.
A Frustração normalmente ocorre quando desejamos alguma coisa e o resultado não é o esperado. Quando essas desilusões acontecem, não devemos permanecer apenas chorando, lamentando-se e sofrendo pelo que aconteceu, com pena de você mesmo, culpando-se. Devemos, neste momento, parar para observar tudo o que aconteceu: observar seus erros e os acertos; os erros e os acertos do outro, além de observar as condições em que o fato ocorreu.
Devemos nos lembrar que todos somo humanos, com qualidades e defeitos e que, às vezes, ESPERAMOS E QUEREMOS MAIS do que as outras pessoas ou a situação pode nos dar.
Esta alta expectativa nos cega, não deixando perceber que nós NÃO estamos observando a REALIDADE e sim apenas vivendo de busca de realizações sem planejamento, de uma idéia por nós formulada e isto nos causa uma sensação de que algo falhou, não deu certo, “não era aquilo que queria” e isto vem mostrar que: nem sempre o que queremos é o que podemos ter diante da realidade apresentada.
Sendo assim, quando aprendemos a observar com mais clareza as situações, as pessoas, o trabalho, conseguiremos fazer com o que realmente desejamos aconteça da melhor forma, sem perdermos tempo com situações que somente nos geram dor e não nos proporcionam nenhuma evolução como pessoa, na nossa busca da FELICIDADE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário